Fogo na estátua de Borba Gato é ato contra a escravidão

A estátua de Borba gato em chamas é uma cena carregada de simbologia, pois expõe o papel da Coroa Portuguesa no Brasil, o caráter da colonização, a escravização de pessoas negras e índios e principalmente como os escravocratas são tratados como heróis pela história oficial.

Até os 13 metros de altura e com cerca de 20 toneladas tem uma simbologia, o de ser imponente e invencível. Representa o orgulho da burguesia brasileira de como acumulou parte importante de sua riqueza, com o sangue dos escravizados.

O fogo nos pés da estátua também tem uma simbologia para as lutas dos povos explorados: é preciso destruir o sistema e todas as suas representações.

Por isso se trata de um ato de resistência e repúdio a história oficial brasileira que vangloria o passado e faz no presente a mesma exploração e opressão contra os pobres e principalmente aos negros e negras que sofrem até hoje as consequências da escravização.

Quem foi o Bandeira Borba Gato?

Um dos bandeirantes mais conhecidos, é acusado de vários assassinatos de índios (que resistiam à escravização e invasão portuguesa), negros escravizados foragidos e destruição de quilombolas. O estupro contra índias e negras escravizadas era outra prática dos Bandeirantes e em especial de Borba Gato.

Tem uma extensa lista de favores à Coroa Portuguesa, inclusive assassinando fidalgos que tentavam burlar os impostos pagos pela extração de minérios nas Minas Gerais.

Acumulou e ajudou a Coroa portuguesa na acumulação de capital graças ao trabalho escravo e extração de riquezas naturais como o ouro e o diamante nas terras de Minas Gerais. Também se apossou de terras indígenas.

Como são os Bandeirantes, é um dos heróis da burguesia brasileira. Por isso fazem tantas homenagens. Em São Paulo há várias estátuas, nome de ruas e de rodovias desses assassinos do povo brasileiro. Até o exército brasileiro tem um batalhão com o nome Borba Gato.

Essas são as razões de tanta indignação da imprensa e dos lacaios da burguesia com o fogo na estátua, os mesmos que se calam diante do racismo, do genocídio dos povos indígenas e da população negra e são contra qualquer política de reparação histórica aos descendentes de escravizados.

Contra qualquer perseguição aos ativistas

A polícia de São Paulo noticiou que identificou e prendeu um dos ativistas que participaram da ação. No lugar de condenar a escravização no país e seus símbolos, Doria trata de protegê-los.

É uma prisão política e de criminalização de quem luta contra o racismo, a escravidão e contra o sistema capitalista.

Liberdade para quem luta!